15 junho, 2010

Wavin' Flag, o hino da Copa de 2010

Por Luiza Barros

O que é capaz de unir pessoas de todos os países, raças e credos? Futebol? Música? Ou seriam os dois? Hoje é dia de estreia do Brasil na Copa do Mundo, e como não poderia deixar de ser, o país inteiro para com um objetivo em comum: ver a bola, nesse caso a nossa famigerada, porém amada, Jabulani, rolar. E a cada partida que começa na África do Sul, somente uma música tem tocado: Wavin’ Flag, do cantor K’Naan, canadense de origem somali.


K'naan: multiétnico, o artista teve sua canção selecionada como tema da primeira Copa na África.

Wavin'Flag é uma música animada, que fala de superação e vitória, e foi escolhida pela Coca-Cola como tema promocional para a Copa do Mundo de 2010. Embora a versão original tenha surgido em 2009 no álbum Troubadour, a empresa resolveu relançar a música com uma nova versão, chamada Wavin’ Flag (Celebration Mix). A partir daí, foram produzidos vários remixes com artistas de outros países integrando a faixa. Num exemplo curioso de capitalismo globalizado, tem K’Naan cantando com gente da França, Grécia, Indonésia, Japão, China, Nigéria, Vietnã, Espanha, Tailandia, Haiti e Oriente Médio.

No caso do Brasil, os escolhidos foram os meninos do Skank, a banda mais apaixonada por futebol do país. A participação dos mineiros pode ser conferida no belo comercial que a Coca-Cola veiculou por aqui. A escolha foi certeira. A letra em português trouxe o adorável vocabulário futebolístico que só o brasileiro poderia inventar: Gol de placa/de trivela/no cantinho/pra desempatar/É de letra/de cabeça/bicicleta/pra comemorar. Imaginem o gringo curioso jogando isso no Google Translator. Inevitavelmente, a música lembra outro grande sucesso do Skank: É uma partida de futebol.



Ainda há outras duas versões em inglês. Uma conta com a participação do rapper will.i.am, do Black Eyed Peas, e o produtor francês David Guetta, e foi lançada como B-side do single de Wavin’Flag (Celebration Mix). A participação do americano e do francês não trouxe muito de novo ao hit, e nem mesmo o clipe foi bem aproveitado. A única coisa que vale a pena é rir do desengonçado David Guetta tentando acompanhar a coreografia com os dois rappers.



Já a outra versão é fruto de um projeto canadense, Young Artists for Haiti. A canção foi regravada por vários cantores do país com o objetivo de arrecadar fundos para o terremoto que devastou o país mais pobre das Américas. Mas apesar das boas intenções, os nossos amigos canadenses apenas conseguiram transformar uma música empolgante em um bando de pieguice. Se We are the World já era irritante para você, imagine com Justin Bieber no lugar de Michael Jackson. É tão ruim que não serviria nem como música tema do campeonato mundial de curling. Com um elenco de pentelhos que incluiu ainda Nelly Furtado, Avril Lavigne e mais um bando de gente desconhecida que só vende disco em Vancouver, o Canadá provou que, como cantores, são ótimos jogadores de hóquei.



Com todos os mais variados videoclipes ao redor do mundo, o melhor que pude encontrar de Wavin’ Flag não faz nenhuma referência direta a qualquer empresa ou campanha. Poderia até ter sido feito por apenas um fã de futebol. Com belos momentos dos mundiais anteriores, foi o que melhor soube resumir o espírito da música. Vale a pena conferir, e esperar para que a gente assista espetáculos tão emocionantes quanto nesta edição do melhor evento esportivo do mundo.


2 comentários:

  1. olha pra falar sério eu adoro essa música da copa, para mim foi a melhor q já fizeram...

    ResponderExcluir
  2. eu ameei..ficou mto perfáa *-*

    ResponderExcluir

Sugira, comente, manifeste-se sobre esse post!